Páginas

sábado, 26 de março de 2016

Currículo Artístico e Portfólio




Márcia de Azevedo Lopes
Rua Minervino de Castro, nº 1617 Rodolfo Teófilo – Fortaleza - CE
Telefone: (85) 997942968
E-mail: Márcia.azevedo9@hotmail.com

Graduada em Licenciatura em Dança pela Universidade Federal do Ceará – UFC – 2015
Integrante do Coral da UFC como cantora – 2016
Integrante da equipe técnica do Coral da UFC como preparadora corporal desde 2013.
Integrante do grupo de música percussiva da UFC Casa Caiada - 2014
Integrante do grupo de pesquisa Poéticas do Corpo IFCE/ Cnpq - 2010 -2013.
Monitora no projeto de extensão Dançar é lazer no Instituto Federal do Ceará – IFCE – 2011- 2013
Integrante do grupo Vitrola Nova – 2012 – 2013
Bolsista do projeto de extensão Secult Arte do Coral da UFC - 2014 – 2015
Bolsista do projeto de extensão Secult Arte Midiadança - 2013
Bolsista do projeto de extensão Proext Memória Viva - 2012


Experiências

Participou como preparadora corporal da montagem do espetáculo cênico-musical Gula do Coral da UFC no Teatro Dragão do Mar – 1ª temporada: novembro de 2015.
Participou do espetáculo Amor no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura – 13/06/14. Bienal Internacional de Dança do Ceará – 27/10/14. Teatro Carlos Câmara – 10/11/2014. Centro Cultural Banco do Nordeste – 19/12/14.

Participou da preparação corporal do Coral da UFC no espetáculo Menino em duas temporadas no Teatro Dragão do Mar- novembro de 2013 e abril/maio de 2014.

Participou como percussionista e preparadora corporal do processo de montagem do trabalho Agô Tambor do Grupo Casa Caiada - 2014.
Participou da montagem e apresentação do espetáculo Submerso com o grupo Poéticas do Corpo no Instituto Federal do Ceará - IFCE – 2012

Participou da montagem e apresentação de O Coração de Anne de Bretagne com o grupo Poéticas do Corpo, no Instituto Federal do Ceará - IFCE, nos teatros Viasul, Sesc Emiliano Queiroz, Cuca Barra, CNBB de Fortaleza e Sousa - PB e Vila das Artes. 2010 – 2012.

Oficina Ministrada
Ministrou a oficina Corpo e voz na I Oficina de Corais da UFC na Faculdade de Educação FACED/UFC 02/07/2014
Ministrou Oficina de Improvisação e Consciência Corporal no Projeto de Extensão Coral da UFC 28/06 e 06, 13, 20 de julho de 2013
Produção
Produziu apresentações do grupo Poéticas do Corpo da remontagem de O Coração de Anne de Bretagne 15, 22, 29 de maio de 2013
Produziu a I Mostra Midiadança no Instituto de Cultura e Arte Carapinima. 30/11 e 01/12/2013

Curriculo Lattes

Videos de trabalhos

https://www.youtube.com/watch?v=O70S0tJe40


Ehttps://www.youtube.com/watch?v=QdBH9_GlORI































terça-feira, 25 de junho de 2013

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Dançando sonhos



Esse é só o começo do fim da nossa vida
Deixa chegar o sonho, prepara uma avenida
Que a gente vai passar



Fazer parte da vida de alguém. Tanta coisa que a gente imaginou e outras tantas que jamais ousamos pensar. Sonhos se movem em nossa mente ou bem a nossa frente. Refletem desejos, buscas. Eu sonhava apenas em sossegar a cabeça, mas você veio e me levou além. Desejo de todo meu coração que você sonhe, muito e mais e mais. Tire seus sonhos para dançar. Deixe-se levar por eles também. Conduzi-los, mas também  se deixar guiar. Que não te falte ânimo para seguir, mesmo quando nada estiver a favor, não olhe para trás! Continue. Que sempre te sobre simplicidade, calma, perseverança, alegria e essa sua leveza para levar a vida. Desejo ouvir tua música e dançar com ela, para você e com você. Obrigada por tua companhia, pelos conselhos, pela atenção, carinho e  cuidado. Que possamos ter nossos sonhos dançados e que tenhamos sempre mais sonhos para dançar. 

Feliz aniversário amor!




quarta-feira, 20 de junho de 2012


Conversando com minha mãe sobre meu cansaço e sobre minhas pesquisas em Dança, eis que ouço meus próprios argumentos, quando ela me pergunta o porque das coisas. Engraçado como " ouvir a se mesmo" faz a gente entender melhor uma porção de coisas. Agradeço a minha mãe por seu interesse  em saber sobre o que faço, seja escrevendo, pesquisando ou apresentado, ela tem um modo bem particular de me despertar para as coisas certas, no momento em que preciso ter uma maior lucidez. Sei que torce por mim e mesmo que não absorva tudo o que eu falo ou não vá na maioria das vezes a minhas apresentações, eu sempre sinto que conto com sua compreensão e com o seu amor. Mudar os rumos de minha vida foi uma escolha muito pessoal e por vezes solitária, e no ramo das artes ainda existe muita insegurança por parte dos pais com relação aos filhos e se estes vão conseguir seu lugar ao sol. Felizmente, não tive muito problemas com relação a isso e me sinto tranquila por sentir cada vez mais que estou no caminho certo, de estar vivendo aquilo que eu quis pra mim.


E nas danças populares eu sinto toda a força que acredito que a vida possui. Alegria, cor, beleza. Me encanta a música da rabeca, do pife, a dança dos homens e mulheres com a pele marcada de sol. Adoro quando posso partilhar de uma roda de coco ou de uma ciranda, com pessoas que ali estão  para celebrar, para trocar com o outro; trocar olhares, sorrisos, energia. Voltar o olhar para estes saberes e para as delicias das tradições brasileiras, sejam elas de que parte for, me trazem a sensação de pertencimento, de identidade. 

terça-feira, 29 de maio de 2012

Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor
É uma coisa boa



Apolíneo-dionisíaco é uma expressão relativa ao que vem dos deuses: Apolo e Dioniso – expressão popularizada e tratada por Nietzsche como um contraste no livro ‘O nascimento da tragédia”, entre o espírito da ordem, da racionalidade e da harmonia intelectual, representado por Apolo, e o espírito da vontade de viver espontânea e extasiada, representado por Dioniso.

O desejo de potência em Nietzsche   determina a capacidade de alcançar os objetivos  quando  pautados na  verdade do desejo , desejar de corpo e alma e entregar-se  ao desejo e maravilhar-se com sonho realizado!

Já que a morte é inevitável o que fazer da vida? O que fazer do tempo que me resta? só me resta viver em toda sua potencialidade.

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os nossos pais...




Referencias:
http://www.vaniadiniz.pro.br
http://www.benitopepe.com.br

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Da ultima vez que estive aqui
eu não era assim
tranquila, compenetrada
não, definitivamente não era
Tudo obra do devir


Depois de alguns textos, pessoas e experiencias, tentarei seguir alguma rotina de postagens, o que é difícil para mim, não manter as postagens, o difícil é manter uma rotina. De setembro para cá aconteceu muita coisa. Viajei, conheci pessoas, aceitei o destino que se desenhava a minha frente. Continuo com o Poéticas do Corpo, grupo onde iniciei meu processo com a arte, com o Dançar é Lazer onde tenho a satisfação de estar as sextas à noite entre amigos fazendo o que gosto e agora sou integrante do Vitrola Nova, cantando, costumo dizer que essa é minha segunda chance com a música e dessa vez ela não me escapa. 
Essa semana tem inicio o evento Memória Viva UFC, no CCBNB, no qual trabalho na produção. Esta é minha primeira experiência em produzir um evento desta natureza, me sinto muito feliz pela oportunidade de conhecer pessoas que fizeram e fazem a história da Dança em Fortaleza/Ceará, tem sido de uma riqueza enorme este trabalho. 
Meio aos acontecimentos, não poderia esquecer meus laços. Meus amigos lindos que são fundamentais em minha caminhada. Esses tem se multiplicado ao longo de minhas idas e vindas. Amo a todos.
E no meio de meus amados amigos, encontrei um companheiro para todas as horas, meu concelheiro para assuntos aleatórios como gosto de chama-lo, alguém com quem vale a pena compartilhar a vida. Isso me fez lembrar um trecho de uma música de que estou estudando... é, Cazuza sabe das coisas. 


Como pode alguém 
ser tão demente, porra louca
inconsequente e ainda amar